sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Apartamento 4 Suítes no Leblon - R$ 5.600.000,00




COVID-19: os cuidados precisam ser redobrados e a orientação é ferramenta fundamental


Após seis meses de isolamento social e com a recente flexibilização de muitas das atividades, as medidas protetivas contra o coronavírus devem continuar na ordem do dia de todos, seja em casa, na rua ou no trabalho. Essa foi a afirmação que norteou o webinar realizado, ontem (17), pelo Seconci-Rio, com a participação da gerente médica de saúde da entidade, Gilda Maria, e do gerente de engenharia da RJZ Cyrela, Guilherme Tonelli.

“Estamos vivendo um momento em que muitas pessoas estão voltando às atividades diárias, mas não podemos esquecer de todas as medidas protetivas que estamos adotando, desde o início da pandemia. Ainda precisamos nos proteger, pois o vírus continua circulando”, alertou Gilda, reiterando a importância da utilização de máscara, da higiene das mãos e do distanciamento social como barreiras contra a disseminação da doença. “Os números mostram queda da taxa de infecção e de mortes, mas ainda temos que nos cuidar”, frisou ela. 

De acordo com a médica, as empresas precisam manter a atenção aos trabalhadores, principalmente àqueles que fazem parte do grupo de risco. “Caso a atividade não comporte home office ou se já foi dado o período de férias cabível, o retorno ao trabalho precisa ser cercado de proteção, evitando o contato direto com o público e em local bem ventilado e asseado”, ressaltou. 

No Seconci-Rio, os atendimentos médico, odontológico e ambulatoriais já retornaram, assim como os exames ocupacionais, os quais estavam suspensos por força da MP927. “Estamos atendendo de maneira responsável e consciente, tomando todas as medidas de proteção para não colocar em risco a saúde dos profissionais e dos trabalhadores”, afirmou Gilda.

O case RJZ Cyrela

Nesta linha de ações protetivas, Tonelli trouxe a experiência da RJZ Cyrela nesta pandemia, destacando que o trabalho de orientação feito com os trabalhadores foi bastante importante e efetivo, com todos seguindo os protocolos de higiene, o que se estendeu também às famílias. “O resultado foi um número de casos significativamente menor ao do mercado, sem nenhum registro de internação ou óbito”, ressaltou o executivo.

Desde o início da pandemia, a Cyrela adotou protocolos rígidos de higiene nos canteiros, além do home office para quem não era do chão de fábrica. “Hoje, estamos vivendo este novo normal de maneira mais tranquila, mas sem relaxar com os protocolos de higienização que foram adotados, como controle de temperatura, afastamento de trabalhadores com doenças preexistente, escala de almoço e de uso do vestiário, assim como entrada e saída também escalonada”, explicou ele. 

No escritório, apenas 30% do espaço tem sido utilizado, com os funcionários trabalhando em regime “part-time”. “Não liberamos acesso a todas as baias, fazemos a medição de temperatura na entrada e afastamos quem apresenta algum sintoma da doença. Estamos cuidando dos nossos colaboradores, inclusive adaptando quanto a questões que ainda são obstáculos, como o não retorno às aulas de seus filhos, o que, felizmente, não tem afetado a produtividade. Todos estão engajados”, disse ele.

Fechando sua participação, Tonelli salientou que a união do setor foi fundamental nestes últimos meses. “Empresas e entidades deram as mãos, trocaram informações e protocolos, em prol de um bem maior que é a saúde dos trabalhadores”, concluiu.


SECONCI, 09/set

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Apartamento 3 Quartos no Recreio dos Bandeirantes - R$ 800.000,00




Setembro Amarelo: entenda como identificar e ajudar um trabalhador com depressão


A depressão no trabalho precisa ser pauta de empresas com forte política de responsabilidade em relação aos seus trabalhadores. E essa preocupação por parte de algumas empresas não é por acaso. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, a depressão ocupará o segundo lugar nas principais causas de incapacidade para o trabalho em todo o mundo, até o final deste ano. Hoje, estima-se que 121 milhões de pessoas tenham depressão, sendo que 17 milhões estão no Brasil.

É preciso deixar claro que as empresas possuem um papel fundamental na identificação e no suporte ao trabalhador em depressão no trabalho, sendo necessária a presença ativa da área de pessoal ou de RH. A saúde mental é um cuidado fundamental junto aos trabalhadores e precisa ser tratada como um benefício para a empresa, pois gera mais engajamento, produtividade e retenção na empresa.

Como identificar um trabalhador com depressão

As mudanças comportamentais, seja a curto, médio ou longo prazo, são os principais sintomas de depressão no trabalho. Uma boa forma de acompanhar essas mudanças é através de uma avaliação de desempenho, já que a produtividade do colaborador é afetada em quadros depressivos.

Além disso, outros sintomas que podem ser percebidos no dia a dia são fundamentais para a identificação da depressão no trabalho. São eles:

  • Fadiga, causada principalmente por distúrbios do sono;

  • Mudança de humor;

  • Oscilações de sentimentos: culpa e baixa autoestima;

  • Picos de alegria/euforia;

  • Insatisfação constante;

  • Indecisão;

  • Introspecção;

  • Distúrbios de apetite;

  • Dificuldades de concentração;

  • Perda de interesse por atividades que até então lhe eram atrativas, entre outros.

Como ajudar um trabalhador com depressão

Empresas com uma cultura focada na humanização dos funcionários já entenderam a importância de conhecer mais sobre a depressão e as formas de tratamento, para que possam ajudar os trabalhadores a lidar melhor com a doença.

Ao identificar a depressão no trabalho, é preciso oferecer um ambiente de trabalho saudável e acolhedor, promovendo a proximidade do gestor junto aos seus empregados, no dia a dia, e o cultivo do relacionamento interpessoal. Também é importante a realização de:

  • Programas de Qualidade de Vida;

  • Incentivo à prática de atividades físicas;

  • Ferramentas de gestão que oferecem um canal aberto e confiável ao colaborador;

  • Acompanhamento de psicólogos e psiquiatras, entre outros.

De todas essas ações, incentivar e, se possível, oferecer um acompanhamento profissional ao trabalhador com quadro de depressão são as mais importantes. A depressão tem cura e o tratamento deve ser iniciado ao início dos sinais e sintomas, de modo correto, para que o quadro não se agrave e culmine em afastamento social.


Da redação com informações do blog da consultora Maria Augusta Orofino, especializada em organizações e metodologias ágeis

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Cobertura Duplex, 4 Suítes no Jardim Oceânico na Barra da Tijuca - R$ 2.900.000,00




Por que trabalhar o Setembro Amarelo nas empresas é importante?

 


Além de ser um momento de conscientização quanto à importância da prevenção ao suicídio, o Setembro Amarelo é uma excelente oportunidade para a empresa falar e agir em prol da saúde mental, pois impacta diretamente no bem-estar e na qualidade de vida dos trabalhadores.

Com a saúde mental em dia, a equipe desempenha seu trabalho com mais qualidade, engajamento e motivação, o que reflete em benefícios para a empresa e se estende para a vida pessoal desses profissionais.

Para realizar uma campanha realmente efetiva, devem ser pensadas diferentes ações durante todo o mês, como conversas, dinâmicas e atividades em grupo. Pequenas ações já fazem toda a diferença para promover a conscientização e tornar esses dias diferenciados.

As ações devem levar em consideração as características da empresa, observando o perfil da equipe e direcionando para os problemas observados. Esse é o momento para desmistificar as doenças mentais, manter um diálogo aberto e combater o preconceito e discriminação. Organizar ações para o Setembro Amarelo permite oferecer um mês enriquecedor e transformador para os funcionários.

Exemplos de práticas que podem ser adotadas durante o Setembro Amarelo

Como o suicídio está diretamente relacionado ao estado psicológico e à saúde da mente, a campanha no mês de setembro deve ser pautada em atividades, momentos e eventos que, além de conscientizar, contribuam para minimizar o estresse, a ansiedade e proporcionar bem-estar para os colaboradores. Veja algumas dicas:

Palestras

Para que os colaboradores possam receber da melhor forma a campanha o ideal é que eles compreendam a importância e a relevância do tema suicídio e como ele está muito próximo do dia a dia das empresas. Sendo assim, é interessante promover palestras para informação e conscientização. Convide especialistas para um bate-papo sobre o tema. Dê preferência a profissionais que trabalhem o assunto de forma natural, para que os colaboradores se sintam à vontade para compartilhar dúvidas.

Mindfulness

O mindfulness é uma prática de meditação para desenvolvimento da atenção plena. As sessões auxiliam no controle do estresse e promovem a consciência corporal, aliando corpo e mente para mantê-los em equilíbrio. Você pode formar grupos de mindfulness, convidar profissionais para conversar sobre essa prática e coordenar esses grupos, além de incentivar a meditação fora do ambiente corporativo para que se torne um hábito.

Atividades em conjunto

Promova dinâmicas para atender aos mais diferentes perfis. A empresa deve oferecer algumas opções para os funcionários. Seja alguma dança, um momento de recreação ou até mesmo uma gincana, o importante é oferecer ações de integração.

A empresa também pode criar um espaço de bem-estar, formar grupos para prática da ginástica laboral, corrida, caminhada, entre muitos outros. O Setembro Amarelo é uma oportunidade para dar o primeiro passo para garantir bem-estar aos seus trabalhadores, mas é fundamental que as ações não parem por aí e se desdobrem durante todo o ano. Saúde mental deve ser uma prioridade no ambiente de trabalho.

Pequenas ações também são bem-vindas. Estimule o diálogo e o acesso às informações. Permita que os funcionários saibam a importância de cuidar da saúde mental, conscientizem para que se cuidem e promova mudanças positivas no ambiente de trabalho para elevar a qualidade de vida ali.


Matéria editada pela redação, com informações do portal Beecorp, com anuência do Seconci-Rio, que classifica o seu conteúdo como importante para a saúde e o bem-estar das pessoas.